domingo, 12 de agosto de 2012

MONTALVÃO viveu a Festa da Senhora dos Remédios




Montalvão voltou a reviver os dias de festa e a juntar muitos dos seus filhos espalhados pelo país. As festas populares iniciaram-se no dia 4, sexta-feira, não faltando a música, os espectáculos taurinos, como é da tradição em terras raianas e tiveram o seu ponto mais alto e solene na terça-feira, dia 8, consagrado à romaria da Senhora dos Remédios.
Sob um sol abrasador foram muitas as pessoas que ocorreram à capelinha situada a 3 quilómetros de Montalvão. Juntaram-se debaixo das escassas sombras proporcionadas pelos eucaliptos, conversaram, petiscaram e beberam, animando o vasto recinto em redor da capela.
Muitos vieram do concelho de Cascais e de outros concelhos da grande Lisboa, onde estão radicados há muitos anos. Fazem da romaria um ponto de encontro com a terra-mãe, a visita aos familiares e um momento de recolhimento para agradecerem à Senhora, os "remédios" recebidos.
É assim todos os anos, faça chuva ou faça sol.
Cá fora, um imponente veado oferecido à Comissão Paroquial era revolvido no assador, enquanto numa barraquinha próxima duas mulheres, mãe e filha, vendiam recordações da festa. Portas chaves, camisolas, livros, gravuras e bolos oferecidos pelas montalvanenses, as deliciosas cavacas e não menos saborosas broas de mel, feitas exclusivamente para serem ofertadas à Comissão Paroquial com o fito da obtenção de fundos.
A romaria e a manutenção da capela têm os seus custos e são estas dádivas, estes "produtos" que ajudam a manter a tradição.
Espalhados pelo recinto e aguardando a chamada, viam-se crianças e jovens da banda União Artística de Castelo de Vide que vieram propositadamente para animar a festa e acompanhar a procissão.
O senhor padre José da Costa presidiu às celebrações religiosas. A missa, na qual participaram muitas dezenas de fiéis, teve lugar no exterior da capela, sob uma estrutura colocada para minimizar os efeitos dos raios solares.
Após a celebração da missa, realizou-se a procissão em redor da capela. Um momento de especial significado para homens, mulheres, jovens e crianças que se deslocaram até à Senhora dos Remédios. Ao ritmo compassado da banda de Castelo de Vide, os romeiros
acompanharam, em silêncio e devoção, o andor com a imagem religiosa venerada em Montalvão.
Depois, foi o anúncio da despedida, a promessa de voltarem no próximo ano.
Mário Mendes in "O Distrito de Portalegre"  - 12/9/2009