terça-feira, 23 de junho de 2015

APELO: A igreja Matriz de Montalvão – Um património a preservar

“Ó sino da minha aldeia,
Dolente na tarde calma,
Cada tua badalada
Soa dentro da minha alma.

E é tão lento o teu soar,
Tão como triste da vida,
Que já a primeira pancada
Tem o som de repetida.

Por mais que me tanjas perto,
Quando passo, sempre errante,
És para mim como um sonho,
Soas-me na alma distante.

A cada pancada tua,
Vibrante no céu aberto,
Sinto mais longe o passado,
Sinto a saudade mais perto.”
Fernando Pessoa
Ao longe, no campo, fora da população ouvem-se os sinos da igreja. Por quem os sinos dobram? Questionamos logo.
 O som do sino da igreja da minha terra era outrora mais do que um toque, era informação instantânea, numa época em que nem havia eletricidade, quando mais internet, facebook ou twitter para comunicar acontecimentos relevantes para a população, era tão importante na época, que hoje em dia até nos esquecemos que a igreja tem um sino, sintomas do avanço tecnológico.
Mas era ao som deste peculiar instrumento que se davam a conhecer à restante comunidade, vários acontecimentos de índole social como a morte, o casamento, o baptizado de qualquer dos seus membros, ou o alerta de perigo iminente (fogo, invasão, ataque, etc.).
Ao percorremos as ruas de Montalvão, verificamos que a sua centralidade encontra-se, ao contrário de outras vilas e aldeias do nosso país, não no rossio ou praça central, mas sim na sua igreja matriz, ou melhor na “Porta da Igreja”- ponto de encontro por excelência entre os seus habitantes. A sua relevância vai para além das questões religiosas, tornando-se num ponto de encontro entre pessoas, que convivem e partilham informação, que de outra forma ficaria perdida.

Por aquilo que aqui descrevi posso-vos dizer, que a igreja Matriz de Montalvão, também conhecida nos meios eclesiástico como igreja em honra de Nossa Senhora da Graça, é mais do que um edifício classificado com interesse municipal (desde 1977), é pois um património material e imaterial valiosíssimo que muitos desconhecem e é preciso preservar. São mais do que Paredes, chão, portas, são tesouros de vidas, momentos, que passaram por ali, e que continuarão a passar, entre as várias gerações de Montalvanenses, que se orgulham do passado desta terra e do seu património.
Por isso foi criado, nestes últimos meses, através do impulso da comunidade civil, em parceria com várias entidades oficiais uma comissão para levar acabo obras de restauro na Igreja matriz de Montalvão, estando neste momento a decorrer a angariação de fundos, para fazer face a esta nobre tarefa, tendo como ponto de partida festivo a realização do 1º encontro de coros ibéricos no próximo Sábado dia 27 de Junho. Sob o lema “Todos juntos, cuidamos melhor”, deixo aqui o apelo, para que todos façam o seu donativo, porque juntos conseguimos!
Cuidar do património é um ato de cidadania, bem hajam a quem tomou a iniciativa.
José Leandro Lopes Semedo