segunda-feira, 17 de agosto de 2015

MONTALVÃO: Festas da Vila em honra da Senhora dos Remédios

As Festas da Vila em honra de Nossa Senhora dos Remédios vão animar durante cinco dias, de 4 a 8 de Setembro, a localidade raiana de Montalvão, no concelho de Nisa e no extremo norte do Alentejo.
O programa dos festejos aqui fica, ao cuidado de residentes e forasteiros com o convite para uma visita a esta antiga vila cheia de história e tradições, localizada a dois passos do magnífico rio Sever e da vizinha Espanha. A festa taurina e a romaria à Senhora dos Remédios são os principais destaques desta tradicional festa.
PROGRAMA
Dia 4 – Sexta-feira
16 H – Abertura do bar
21, 45h – Música e baile com o grupo Ténis Bar
02,30h – A festa prossegue com a música do dj Andy John
Dia 5 – Sábado
10,30 H – Peditório da Colcha
16,30H – Tourada à Vara Larga – Gado da Ganadaria Simão (Póvoa e Meadas)
21, 45h – Música e baile com a famosa Banda Giga
02,30h – Abana o capacete, desta vez ao ritmo de Poppy
Dia 6 – Domingo
16,30 H – Tourada à Vara Larga e Concurso de Pegas. Participação dos Forcados Amigos da Penha (Portalegre) e Amigos de Santo António das Areias. A banda da Sociedade Musical Nisense animará este grandioso espectáculo taurino
21,45H – Marco Paulino traz a animação musical e convida para um pezinho de dança
Dia 7 – Segunda-feira
15h - Abertura do bar
16H – Jogos tradicionais no recinto das festas
21, 45h – Música e baile com o Duo Eclipse
Dia 8 – Terça-feira
É o dia da tradicional romaria à Senhora dos Remédios, a 2 quilómetros da vila, onde será celebrada Missa e Procissão pelo meio-dia.
Depois e junto à ermida a música de Marco Paulino animará os romeiros.
Às 16 H e no recinto anexo à ermida haverá Tourada à Vara Larga, novamente com a colaboração da Ganadaria Simão (Póvoa e Meadas).

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Colóquio e Exposição na Casa do Povo sobre a Arte Chocalheira



OPINIÃO - Montalvão-Cedillo: Uma Pont(a)e de Esperança

No final do mês de Julho, a presidente da Câmara Municipal de Nisa, Idalina Trindade (PS) recebeu nos Passos do Concelho uma comitiva da Diputacion de Cáceres (órgão do governo regional) liderada pela presidente Rosário Cordero, tendo como principal tema na agenda a ligação transfronteiriça sobre o rio Sever ligando as duas regiões (Nisa e Cáceres).
Pela primeira vez, em muitos anos, que nos deparamos com uma enorme vontade política das duas partes em executar a obra que muita gente anseia.
A modificação que agora se verifica é fruto das ultimas eleições autonómicas/municipais em Espanha, que elegeu Rosário Cordero (PSOE) como presidente da diputacion, uma mulher de uma enorme sensibilidade e visão de futuro, como se pode atestar pelas suas primeiras ações politicas, com destaque para a visita aos vários concelhos da raia portuguesa, com os quais pretende manter uma estreita ligação e cooperação, pelo que nos dá a entender.
Do lado de cá (Nisa) também se sabe que existe no atual executivo uma real vontade em levar para a frente este projeto, o mesmo será dizer que as questões políticas colocadas anteriormente estão ultrapassadas, e isso é meio caminho para se poder concretizar o sonho das duas comunidades. Apesar de haver um grande entrave, que poderá em breve ser desbloqueado, espero eu, que é a questão não menos importante em relação ao financiamento da mesma, já que o anterior executivo de Cáceres (Partido Popular) devolveu à União Europeia os fundos que estavam alocados ao projeto inicial para a construção da ponte internacional sobre o rio Sever, por considerar que a mesma não era prioritária, para alem de ser muito dispendiosa e não trazer desenvolvimento acrescido para a sua região.
Saber ler os sinais que nos são apresentados, é fundamental para construir uma relação duradoira no médio e longo prazo, tal como na vida em geral, devemos seguir a mesma lógica na política. Por isso, neste caso, devemos acolher com as duas mãos e saber projetar esta nova fase das relações institucionais entre Nisa e Cáceres, e delas tirar os devidos dividendos.
Nunca como agora a cooperação entre povos foi tão necessária, porque juntos temos outra dimensão e podemos projetar mais longe a nossa voz (poder), e chegar com outro autoridade negocial junto das instituições centrais. É por aí que passa o nosso futuro, estabelecer parcerias e construir novas pontes que nos possam levar a um futuro mais próspero, e a gente desta raia esquecida, bem merecem.
Não podemos continuar neste impasse, necessitamos de desenvolvimento real, como pão para a boca, e isso também é fruto da ousadia dos líderes das comunidades que nos representam, lancem mãos à obra, a população agradecerá o vosso empenho e dedicação.
A esperança é uma miragem para a outra margem.
JOSÉ LEANDRO LOPES SEMEDO